Responsabilidade do hospital por queimadura na cirurgia

Uma decisão proferida pela 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça, reconheceu a responsabilidade de um hospital num caso de queimadura sofrida pela paciente durante uma cirurgia.
O acidente ocorreu durante uma cirurgia de redução de estômago, quando a paciente sofreu grave queimadura no glúteo e teria sofrido alta sem conhecimento da lesão. Posteriormente, a paciente foi informada que a causa mais provável para a sua queimadura seria a placa do bisturi elétrico ter sido posta em local inadequado.
O hospital atribuiu a responsabilidade ao médico.
O Tribunal de Justiça condenou o hospital a ressarcir as despesas relativas ao tratamento da queimadura e a pagar a quantia de R$ 20 mil a título de indenização por danos morais. O Tribunal atribuiu a má-prestação do serviço aos profissionais integrantes da equipe multidisciplinar do hostipal.
No STJ não pode haver o reexame de fatos e provas dos autos (Súmula 7).
Segundo o entendimento consolidado pelo STJ, mesmo que não fosse reconhecida a responsabilidade objetiva do hospital, o dever de indenizar persistiria, uma vez que o entendimento do STJ em relação à responsabilidade da instituição (hospital) no que tange à atuação técnico-profissional (erro médico) de seu preposto é subjetiva, dependendo da aferição da culpa pelos danos causados, a qual foi reconhecida pelo Tribunal de Justiça.
Assim é inviável excluir a responsabilidade atribuída ao Hospital. (REsp. N. 1664908).