Embasa despeja esgoto sem tratamento no mar

O problema foi constatado durante uma investigação para averiguar o problema da estação de tratamento em 2016.
Em março do ano passado, uma mancha escura no mar do Rio Vermelho, decorrente de um acidente com um ônibus que provocou a interrupção de energia na Estação de Tratamento de Água do Lucaia, tendo a EMBASA despejando, em dois dias, 756 milhões de litros de esgoto sem tratamento na praia.
Segunda a Polícia Federal, a EMBASA vem lançando esgoto sem tratamento no mar há mais de dois anos.
Em Março de 2016 devido à falta de energia, indicava que o esgoto estava sendo despejado diretamente na praia do Rio Vermelho, sem passar pelo emissário submarino, que tem 2,35 Km de extensão. O emissário, que é denominado de Sistema de Disposição Oceânica – SDO leva o esgoto já tratado para a dispersão em águas oceânicas, a 27 metros de profundidade, sendo que antes disso, passa pela estação de tratamento.
Segundo a Polícia Federal, desde outubro de 2015, o esgoto doméstico não tratado é levado ao mar, o que corresponde a cerca de 60% da cidade.
A perícia constatou que a bomba que deveria fazer a elevação do efluente, permitindo o escoamento do efluente, estava inoperante. Sem o funcionamento desta bomba, o esgoto não passa pelos processos de tratamento, como o gradeamento, peneiramento e caixa de areia.
O emissário bombeia cerca de 8,3 mil litros por segundo, e desde outubro de 2015, o órgão de saneamento baiano, despejou mais de 330 bilhões de litros de esgoto no oceano.