Aumento de faixa de areia em Canasvieiras/SC custa R$ 25 milhões

A praia catarinense de Canasvieiras, conhecida como reduto dos turistas argentinos, sofre com a ressaca que castiga a Ilha de Santa Catarina.
Em certos pontos da praia, quando a maré sobe, a faixa de areia simplesmente desaparece.
Em situação normal, o espaço para os banhistas oscila entre 5 a 15 metros de comprimento.
O custo do engordamento da faixa de areia do referido balneário, segundo um oceanógrafo, estaria ao redor de R$ 25.000.000,00, com uma variação de cerca de 20% para mais ou para menos.
A avalição foi apresentada durante o evento de comemoração dos 20 anos da regional da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis, de Canasvieiras, com a presença do prefeito.
Em alguns pontos da praia de Canasvieiras quase não há mais faixa de areia para os banhistas.
Um dos problemas apontados pelo especialista é a falta de monitoramento do nível do mar, o que não acontece em Santa Catarina e no Brasil.
Segundo o especialista, a perda é de 50 centímetros por ano de faixa de areia.
A areia para recompor a praia  seria dragada do fundo do mar, devendo o projeto de recuperação ambiental estar de acordo com as correntezas e em sintonia com a natureza.
O cálculo estima a necessidade de 600.000 m3 de areia e a fixação de molhes para o engordamento da praia, possibilitando uma faixa de areia com 45 metros de comprimento.
O especialista sugere para arrecadar a quantia necessária, a criação de uma taxa para os visitantes de Canasvieiras.
A adoção do  engordamento da faixa de areia, já foi utilizado com sucesso na praia de Copacabana (anos 70), no Rio de Janeiro, a Curva da Jurema, em Vitória/ES.
Segundo o especialista, o engordamento da faixa de areia da praia dura cerca de uma década.
Recentemente, a Prefeitura de Balneário Camboriú anunciou que o alargamento da faixa de areia da praia Central estará concluído até o próximo verão. São cerca de três milhões de metros cúbicos de areia que serão tirados de uma jazida e levados para a praia, ao custo de R$ 100 milhões.
A faixa litorânea é a defesa que a terra tem sobre o mar.

 


Aumento de faixa de areia em Canasvieiras/SC custa R$ 25 milhões

A praia catarinense de Canasvieiras, conhecida como reduto dos turistas argentinos, sofre com a ressaca que castiga a Ilha de Santa Catarina.
Em certos pontos da praia, quando a maré sobe, a faixa de areia simplesmente desaparece.
Em situação normal, o espaço para os banhistas oscila entre 5 a 15 metros de comprimento.
O custo do engordamento da faixa de areia do referido balneário, segundo um oceanógrafo, estaria ao redor de R$ 25.000.000,00, com uma variação de cerca de 20% para mais ou para menos.
A avalição foi apresentada durante o evento de comemoração dos 20 anos da regional da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis, de Canasvieiras, com a presença do prefeito.
Em alguns pontos da praia de Canasvieiras quase não há mais faixa de areia para os banhistas.
Um dos problemas apontados pelo especialista é a falta de monitoramento do nível do mar, o que não acontece em Santa Catarina e no Brasil.
Segundo o especialista, a perda é de 50 centímetros por ano de faixa de areia.
A areia para recompor a praia  seria dragada do fundo do mar, devendo o projeto de recuperação ambiental estar de acordo com as correntezas e em sintonia com a natureza.
O cálculo estima a necessidade de 600.000 m3 de areia e a fixação de molhes para o engordamento da praia, possibilitando uma faixa de areia com 45 metros de comprimento.
O especialista sugere para arrecadar a quantia necessária, a criação de uma taxa para os visitantes de Canasvieiras.
A adoção do  engordamento da faixa de areia, já foi utilizado com sucesso na praia de Copacabana (anos 70), no Rio de Janeiro, a Curva da Jurema, em Vitória/ES.
Segundo o especialista, o engordamento da faixa de areia da praia dura cerca de uma década.
Recentemente, a Prefeitura de Balneário Camboriú anunciou que o alargamento da faixa de areia da praia Central estará concluído até o próximo verão. São cerca de três milhões de metros cúbicos de areia que serão tirados de uma jazida e levados para a praia, ao custo de R$ 100 milhões.
A faixa litorânea é a defesa que a terra tem sobre o mar.