SBT responde processo de R$ 10 milhões por danos morais

O Ministério Público do Trabalho de São Paulo, ingressou com uma ação civil pública na qual postula a cominação de uma multa de R$ 10 milhões por danos morais coletivos, por violações aos direitos à intimidade, à vida privada, à honra e à imagem e a discriminação de gênero de funcionários da emissora de Sílvio Santos, citando o caso em que o apresentador constrangeu Maísa Silva durante um programa e outro em que o apresentador Ratinho chutou uma assistente de palco ao vivo.
Em abril de 2016 o apresentador Carlos Alberto Massa, o Ratinho, chutou a assistente de palco Milene Pavorô enquanto ela estava dentro de uma caixa de papelão dizendo: “Aroldo, o senhor notou que ela é uma funcionária rebelde? Providências terão de ser tomadas... Ela vai pra rua” disse ele ao vê-la saindo do palco machucada. Dita prática para o MPT implica violação da dignidade da trabalhadora ofendida psíquica e fisicamente, mas também dos demais empregados da empresa, inclusive muitas mulheres, causando sensação, espanto entre os empregados e a violação de um sentimento coletivo, social, de dignidade de toda a sociedade.
Já no programa Silvio Santos, em junho deste ano, o apresentador insistiu que Maisa Silva, de 15 anos, namorasse Dudu Camargo, de 19 anos, causando constrangimento na atriz e levantando, nas redes sociais, o debate sobre as atitudes sexistas na TV. Silvio Santos teria dito: “Tenho notado que você não consegue arrumar namorado. Você tem 15 anos e ele 19, o jogo foi um pretexto para aproximar vocês dois.”, tendo Maísa respondido: “Então eu posso ir embora. Não estou aqui para arranjar namorado. É um ultraje, é constrangedor você me submeter a uma situação dessa.”